Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Desafio passa-palavra#4#vento

Não me subestimes!

Acaricio o teu corpo com a minha brisa suave como plumas enquanto dormes uma sesta na praia, em tempos passados fiz mover as velas dos moinhos de vento para que pudesses ter pão, hoje faço mover as velas de um moinho eólico para que possas ter energia suficiente para te aqueceres no inverno ou te refrescares no verão, levo o pólen de um lado para o outro para que possas ter as frutas que gostas e contemplares as flores que adoras, entro pela janela da tua casa para te purificar o ar, como vês sou bastante benéfico para ti mas, atenção, não te iludas e não me subestimes pois posso ser muito letal quando estou furioso. Assim, como acaricio o teu corpo com a minha brisa com um toque sex, também destruo o teu chapéu de chuva e me torno numa força altamente destruidora que pode derrubar árvores de grande porte ou a casa onde vives, não me subestimes portanto, fica apenas atenta às minhas mudanças de humor que fazem parte da minha natureza e, acima de tudo respeita-me!

Eu sou aquele a quem deram o nome de Vento!

(imagem tirada da net)

Seguindo a proposta desafiante da  Mel e da Mula, entre desafios e ventanias, aqui vos deixo a minha participação!

As minhas plantas e o vento

Farta de um vento que tudo abana e estraga, provoca um barulho e levanta terra no ar que quase me cega... hoje o sol aquece e o vento amainou, rego as plantas que estão muito danificadas e secas, espero que elas se recomponham dos remoinhos provocados pela  ventania a que foram sujeitas...

arvore rosa 009.JPG

 

 

Alerta vermelho

Um forte temporal alastra por todo o país. As janelas que não estão devidamente calafetadas, deixam entrar pelas frinchas um vento frio. O vento, a chuva e o frio que se faz sentir do lado de fora das janelas não convida a colocar os pés na rua. A fúria do vento é tanta que com a sua força descontrolada corta os troncos e as folhas das árvores e outras, arranca pela raíz. A sua voz inconfundível faz-se ouvir, não num murmúrio inaldível, mas sim num brusco e ensurdecedor som que faz arrepiar os ouvidos. Atravez das noticias ouve-se os relatos das várias ocorrências que se vão verificando ao longo do dia, por todo o país. Os bombeiros não têm descanso no socorro a tantas solicitações. As adversidades do tempo são comparáveis às adversidades da vida de cada um - se há alturas da vida em que tudo corre bem o que, confere à pessoa  a ilusão de que será sempre assim - de um momento para o outro tudo se pode desmoronar e a vida ter que assumir outro rumo. Pode -se prever que o tempo poderá entrar em alerta vermelho dentro de algumas horas, pode-se tomar algumas providências para diminuir estragos. As adversidades nas condições meteorológicas possuem um carisma próprio que cativam a nossa atenção seja pela sua condição ou pela sua beleza. Um mar revolto assumido da sua força levanta vagas tão altas que se desvanecem em lençóis de espuma branca sobre a praia e fazem deslumbrar um olhar apreciador da sua beleza. Uma trovoada que de repente ilumina a terra com os seus raios serpenteando aos siguezagues no vazio, é algo digno de se ver, não obstante o pânico que transmite.