Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Sou apenas uma folha de outono

Hoje, apenas sou uma folha de outono,

Já fui pequenina, já fui jovem,

Verde e viçosa

a vida transbordava da minha seiva,

abriguei na minha sombra

tantos que nem conseguia contar

Porém, agora

que a frescura e vitalidade

me abandonam, 

que me desprendo da veia que me alimenta,

que involuntáriamente caí ao chão

que ninguém precisa de mim,

estou esquecida, amarelada

no chão caída,

à espera

que o vento me leve para longe

dos olhares piedosos,

que a água da chuva me arraste

e me transforme,

porque, hoje apenas sou uma folha de outono!

(Maria Flor)

folha de outono.jpg

 

As estações da nossa vida

O fim do verão era já anunciado com  a temperatura a descer, e o tamanho dos dias a decrescer. Aí estão os sinais de que o outono se instala e com ele o amarelecimento, depois a cor vermelho acastanhado das folhas e a sua consequente queda. Tudo vai ficar com folhas meio secas no chão, elas vão rolar com o sopro do vento, são transportadas para outros sítios, as árvores vão ficar despidas, despojadas de toda a magestosa folhagem que as embelezou nas anteriores estações, apenas vai restar um esqueleto escuro, sem graça e sem utilidade até à proxima primavera. A natureza humana é quase assim, apenas as suas estações duram um pouco mais, mas, à medida que a idade avança, a sensação que fica é de que se viveu somente uma vez as quatro estações.

As estações da nossa vida:

Primavera, nascemos, crescemos bonitos e saudáveis, a transbordar de energia, tornamo-nos em homens e mulheres fortes com idéias e projetos de poder mudar o mundo.

O verão da nossa vida, queremos ter o nosso espaço, fundar a nossa familia, obter êxito profissional, adquirir estabilidade familiar e económica.

No outono, queremos beneficiar do produto de toda uma vida de trabalho, queremos fazer aquelas viajens que não tivemos oportunidade de fazer, queremos ler aqueles livros que se foi sempre adiando, queremos nos dedicar a artes para as quais temos aptidão e nunca tivemos tempo para explorar, queremos nos dedicar mais à familia, mesmo que a nossa familia já tenha a familia deles. Mas o outono da nossa vida muitas vezes reserva-nos supresas desagradáveis e não nos deixa tempo, forças e disposição para estas coisas.

O inverno da nossa vida não teria que ser triste, mas infelismente, para a maioria das pessoas é uma estação muito, mesmo muito triste, cheia de sofrimento fisico, espiritual e emocional.

Na próxima estação a vida se renova e tudo começa de novo! 

O outono chegou

O tempo esteve quente, as matas arderam, as pessoas foram de férias, foram á praia, ao campo, visitaram museus, mumomentos, aquários, feiras e festas, passaram tardes inteiras nas esplanandas, comeram gelados e pateis de nata, dormiram de dia e dançaram à noite .... outros trabalharam quase noite e dia, sete dias por semana, trinta dias por mês, estão estoirados. O outono chegou, é agora a vez destas pessoas irem de férias; vão para países quentes, gozar as praias que não puderam aproveitar no nosso país ou, vão simplesmente passear pelo nosso Portugal, que tanta coisa linda tem para visitar; existem ainda os outros que não vão para lado nenhum, ficam em casa e vão ao café da aldeia, conversam com os vizinhos e visitam os amigos e as pessoas doentes... Há tantas formas de ocupar o tempo, cada um saberá a melhor forma de usar o seu tempo e o que lhe dará mais gosto fazer. O tempo, esse bem irreverssível que nos foge entre os dedos sem que demos por isso.... muitas vezes, olhando para trás, damos conta que deixamos de fazer tanta coisa que já não vamos a tempo de recuperar porque o tempo não volta atrás. E assim chegou o outono.