Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Se fosse eu

O que colocava eu, numa mochila se tivesse que fugir da guerra e pedir refúgio noutro país? Não podia levar uma mochila muito grande porque não teria força para a carregar, então levaria: Umas calças de ganga, duas camisolas finas ou grossas conforme o tempo, um casaco de malha, alguma, pouca roupa interior, uma toalha de rosto e outra mais pequena, alguns produtos básicos de higiene, bolachas, uma garrafa de água, telemóvel e carregador, óculos de ver ao perto, um boné, dinheiro e cadernos mais esferográfica para escrever acontecimentos, sentimentos, alegrias e tristezas. Seria mais ou menos isto, porque se sobrasse algum espaço ainda meteria mais qualquer coisa, se faltasse teria que tirar. 

 

Isto seria o que levaria na mochila porque, no coração levaria a minha família e amigos, a minha casa, o meu país, muita saudade que começaria a sentir mesmo ainda de ter partido e um medo atroz do mar, da viajem, da entrada noutros países e, se conseguisse chegar a um país de acolhimento o meu medo diminuiria, ainda assim teria medo da minha adptação ao país, às pessoas.

 

Levaria também muita esperança, esperança de conseguir um futuro melhor e tranquilo, esperança de ser bem acolhida, esperança de um dia voltar ao meu país quando acabasse a guerra.

 

Levaria sem dúvida, medo e esperança que não caberia em nenhuma mochila!

mochileiro.jpg