Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Dia mundial do Livro

“A leitura é importante hoje mais do que nunca. Leia e você nunca estará sozinho”,

copiei esta frase que li algures por aí e creio ser uma grande verdade, nós que sentimos prazer no acto da leitura nos faz uma certa confusão de como existem tantas pessoas que não nutrem qualquer prazer neste acto. A leitura tem o poder e a força de nos levar em viagens que jamais imaginaríamos, com ela parece que tudo se movimenta, conseguimos estar em vivência quase real através da imaginação, recriação, coração e espírito nos lugares e tempo em simultâneo com as personagens  da obra que estamos a ler, e as horas passam de uma forma diferente, divertida e enriquecedora. Nas horas em que dedicamos à leitura, de uma certa fora estivemos a viajar, a conhecer lugares, culturas e formas de viver diferentes e por isso eu pessoalmente encaro a leitura como uma fonte de conhecimento do mundo!

A minha leitura actual, "O Historiador"!

A trama se passa na Europa do período da Guerra Fria, onde uma menina, filha de um diplomata, descobre uma série de cartas misteriosas dentro de um livro na biblioteca de seu pai. Após pesquisas e histórias contadas por seu pai, a menina descobre o legado que foi deixado a ela.

Nas histórias do pai, ele conta que em sua época de pós-graduação em História, ele conheceu um professor, Bartholomew Rossi, que antes de seu desaparecimento misterioso, deixou-lhe o livro com as cartas, nas quais ele afirma ter descoberto que Conde Drácula ainda estava vivo.

O livro percorre a natureza da história e na sua relevância para o mundo actual.

dia mundial do livro.jpg

 

Nunca fez tanto sentido dar um especial valor à leitura como neste período que estamos a viver, o prazer de ler um bom livro é uma riqueza a ser redescoberta, sobretudo em tempos de quarentena ou isolamento social. O 25º Dia Mundial do Livro e do Direito de Autor celebra-se este ano quando o mundo vive uma das suas mais duras experiências, a pandemia de coronavírus ou covid-19!

Três palavras!

Existem pelo menos três palavras que devem fazer parte do nosso vocabulário todos os dias da nossa vida, são elas: Obrigada, Por favor e Desculpe, quem não possui a capacidade  e humildade de usar estas simples mas tão importantes palavras por se julgar um ser superior ou por simplesmente querer e gostar de ser mal educado, pode se tornar em alguém arrogante, caprichoso e até mesmo desagradável. Hoje, além de outros motivos que tenho para agradecer, tenho mais um motivo muito forte para utilizar a primeira destas palavras aqui descritas dirigindo-me à equipa Sapo que me presenteou com este destaque. É sempre bom ser recompensada com um miminho, isso nos dá encorajamento para continuar a tentar ser cada vez melhor. Obrigada Equipa Sapo!

sapo.jpg

 

As caminhadas em tempo de Covid-19

Sou uma amante de caminhadas, adoro fazê-las à beira mar, tenho o privilégio de viver perto do mar. Agora que todas as entradas para a praia e parques de estacionamento à beira mar estão vedados com fitas, no paredão muitas pessoas ainda fazem as suas corridas e caminhadas, eu optei por outros trilhos para evitar ajuntamentos e cruzamentos. Assim, como a minha zona também é campo, dei preferência aos percursos por onde quase ninguém passa, por trilhos de terra batida, onde abundam pinhais e hortas. Equipo-me de chapéu de sol e outro de chuva porque ora faz sol ora pode fazer chuva, óculos de sol, os meus ténis de caminhada, telemóvel, fones nos ouvidos e música do Spotify, aí vou eu para mais uma. Dou por mim parada a observar as batatas que crescem rapidamente, a chuva ajuda a que toda a natureza de desdobre de um dia para o outro, flores campestres lindas, malmequeres brancos e amarelos, as flores do mato, os pinheiros novos, e encontro lamaçais enormes, já lhes dei o nome de "grandes lagoas", passo pelos lados, salto poças lamacentas, verifico que não à pegadas recentes, o que significa que ninguém passou por ali naquele dia, aparece uma vez ou outra o rasto de bicicleta.Uma vez ou outra cruzo com algum casal que também vai fazer o seu passeio. Desfruto da tranquilidade que só a natureza pode oferecer e, enquanto caminho passo atrás de passo somo quilómetros, esqueço a guerra que grasa pelo mundo e o meu corpo e mente agradecem. No fim, quando chego a casa me sento num banco, estou cansada mas tranquila. Estamos a atravessar um período difícil, que vai fazer historia, não sabemos até quando vai durar mas já conhecemos um bocado da dimensão dos estragos que causa! Manter a sanidade mental e algum exercício físico é fundamental! 

Arvore.jpg

batatal.jpg

 

Flores campestres.jpg

 

Quando vem o sol

É hora de começar a limpar. Limpar as paredes que criaram humidade no tempo chuvoso, limpar as ervinhas que estão a mais no quintal, e limpar as teias de aranha que estão na cabeça, estas são seguramente as mais difícieis de eliminar, mas com um solinho a aquecer e os dias a crescer elas lá se vão desvanecendo. Bem vindo Sol que nos aqueces os corpos e o coração!

20180224_080747.jpg

 

Grata pela surpresa

Surpresa é algo que nos acontece e que não estamos à espera, isto toda a gente sabe. Uma surpresa boa tem um efeito agradável na pessoa que é surpreendida, esse efeito transmite felicidade e pode até elevar a auto estima de alguém, depende da matéria, objecto da surpresa que tanto pode ser material como sentimental. Ontem fui premiada pela equipa do Sapo, confesso que para mim  foi uma grande surpresa ao abrir o blog e perceber que estava nos destaques com este post e mais tarde, ainda mais surpresa fiquei quando percebi que estava também nos mais lidos.

Sou apenas uma pequenina aspirante a blogger, por vezes faço grandes pausas, muitas vezes me falta a inspiração, algumas vezes me falta o tempo e outras me falta a disposição.

Após uma grande ausência, ser premiada na "reentré" é fantástico, eleva a auto estima e incentiva a continuar. Fiquei feliz, e estou agradecida.

surpresa.jpg

 

Bem vindo Novembro e que tragas alguma chuva!

É o segundo dia do mês de Novembro, sim, chegamos a mais um Novembro, recordo aqui um post que publiquei há cerca de um ano quem sou eu . Hoje quero acrescentar mais um pouco sobre a mulher que sou e sobre o que a vida me ensinou.

- Nada acontece por acaso, nenhuma pessoa passa pela nossa vida sem deixar uma marca, boa ou má, uma impressão ou uma marca fica. Essa marca tem um sentido, é preciso saber descobri-lo e, de uma forma ou de outra aprendemos algo com isso, só é preciso estar atento.

- "hoje" aprendi que preciso das pessoas e que as pessoas precisam de mim, que todos precisamos uns dos outros, que somos mais felizes se dermos felicidade aos outros!

Bem vindo novembro

novembro.jpg

 

 

 

 

 

Paixão por antiguidades

Se temos a mania de guardar coisas? sim, temos. Mesmo quando essas coisas já parecem tão velhas e que sabes que nem tu nem mais ninguém as vai usar, ainda assim guardas essas coisas, porquê? Será que no fundo do teu intímo mesmo sem saberes está guardada ainda uma utilização para essa peça? Pois, são algumas perguntas dificies de responder eu sei.

Cansada de olhar para o minúsculo relógio que guarnecia o meu pulso, cansada de olhar para ele e não conseguir ver as horas porque, enfim a vista já não está tão boa como antes, me veio à memória um relógio que há séculos estava adormecido numa caixa sem qualquer préstimo.

Porque não lhe dar vida outra vez? é uma antiguidade, e as antiguidades até estão na moda!

Pego no relógio e o levo ao relojoeiro para saber se o podia pôr a funcionar, ele até me soube dizer em que década foi fabricado, sim, eu sabia que o relógio tinha milhentos anos, ele não me deu nenhuma novidade.

Deu-me um orçamento que aceitei, mandei arranjar, comprei uma bracelete nova e eis o resultado, um relógio todo catita, diferente dos que toda a gente usa, com traços grandes, bons para os meus olhos. Tens que lhe dar corda todos os dias, senão ele não trabalha, dizes-me tu, concordo, mas também te digo que até é engraçado, pois o primeiro relógio que tive também tinha que lhe dar corda. É uma forma de recordar outros tempos, antes de o mundo ter sido invadido pela tecnologia!

20170529_191846.jpg

 

Os incêndios não dão tréguas

Chega-me às narinas um certo cheiro a mato queimado trazido pelo vento, vou à varanda olhar ao longe em todas as direções a ver se alcanço o local que lança o cheiro. Não vislumbro focos de incêndio, mas em algum sitio, mato está a ser consumido pelas chamas, o cheiro que me chega não engana. A minha zona felizmente não costuma ser muito castigada pelas chamas, acontecem alguns fogos, lembro-me de uns dois ou três que foram mais perigosos.

incendio.jpg

 Na televisão passam as imagens de casas com as labaredas a sair pelas janelas, passam imagens desoladoras de áreas muito grandes cobertas de um manto negro e os esqueletos das árvores, hirtos, isentos de folhagem. Pessoas cansadas que árduamente combatem o flagelo das chamas, homens e mulheres que arriscam a vida para salvar bens e pessoas. Como dou apreço a estas pessoas, como dou valor à sua coragem....