Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Pão por Deus 2017

Rápidamente passam os anos, chegamos mais uma vez a esta data tão apreciada pelas crianças. O dia do "Pão por Deus" celebrado todos os anos a 1 de Novembro , feriado e dia santo, denominado o dia de Todos os os Santos, é também o dia em que as pessoas rumam ao cemitério a limpar e a compôr as últimas moradas dos seus entes queridos.

Mas, falava eu do dia de "Pão por Deus", este dia em que as crianças saem à rua, normalmente em grupo, por vezes acompanhados por alguém adulto, com os seus saquinhos coloridos e chegam-se à porta das pessoas e pedem o dito "Pão por Deus".

Confesso que faço sempre por estar em casa nesta manhã, pois me dá um prazer enorme participar desta festa das crianças, depressa me vem à mente uma época longínqua (mas não tanto, porque o tempo passa depressa demais) em que eu também fazia isso, e era algo que apreciava muito, não só pelo convívio com os outros mas também porque naquela época as  oportunidades de comer goluseimas eram muito raras.

Esta é uma tradiçao que remonta a épocas muito antigas, li em algum sítio que terá começado após o terramoto de 1755, dia em a terra tremeu e que atingiu particularmente o litoral português e o Algarve, destruindo a cidade de Lisboa. A fome e a miséria eram muito fortes e as crianças com necessidades extremas começaram a ir pedir à porta das pessoas o Pão por Deus para mitigarem a fome que as atingia.

A tradição mantém- se até aos nossos dias, mas, felizmente agora com um sentido diferente. Actualmente é um dia de festa para as crianças.

Deixo aqui a imagem do que tenho preparado para dar as todas as crianças que à minha porta vierem ter, e todas serão bem vindas!

 

pao por Deus 2017.jpg

 

O melhor que o mundo tem, as Crianças

O melhor que o mundo tem são as Crianças!

Elas são a alegria, a inocência, a verdade, a pureza, o movimento, a cor e o riso, elas são a nossa continuação e a continuação de um país. Elas são o futuro.

Por tudo isto, todas as crianças sem excepção, independente de raça, cor ou religião merecem ser tratadas com carinho, amor e respeito.

Hoje, dia mundial da Criança, quero deixar aqui o meu apelo a que ninguém maltrate as Crianças e o meu registo com esta frase:

 

dia da criança.jpg

 

Há Pão por Deus 2016

Uma das tradições mais bonitas que existe. Foi com muito carinho que preparei os saquinhos que vou distribuir pelos meninos e meninas que daqui a pouco vão andar pelas ruas, batendo a campainha das portas com a frase do dia "há Pão por Deus"

Enquanto distribuo aquilo que preparei é quase como se voltasse a ser menina e fosse eu a criança que hoje bate às portas. 

Naquela época, as nossas mães costuravam de propósito os sacos, levavámos sempre dois sacos porque havia coisas que não se deviam misturar, iamos em grandes ou pequenos grupos, na minha aldeia existiam muitas crianças, a alegria bailava nas ruas, nas portas e nas casas, era um dia de uma alegria excepcional. 

Hoje não é muito diferente de outrora, apenas algumas nuances de modernidade se fazem notar, alguns adultos acompanham as crianças mais pequenas. 

Com nuances ou não o que importa mesmo é que não se percam as tradições que trazem alegria, que trazem vida às ruas, às casas e às pessoas!

DSC07089.JPG

 Aqui vos mostro a cesta que preparei para este dia.

 

Hoje a minha porta está aberta para os receber com o carinho que merecem, as crianças são o melhor que o mundo e a vida têm! 

 

 

Há Pão por Deus

Esta é a tradição mais bonita que existe. É com muito carinho que preparo os saquinhos que vou distribuir esta manhã pelos meninos e meninas que há minha porta virão bater "há pão por Deus" é a frase que se vai ouvir. Enquanto distribuo os saquinhos é como se eu própria também andasse de porta em porta como fazia quando era uma menina pequena. Que dia tão feliz era aquele, as nossas mães costuravam de propósito os sacos, levávamos sempre dois sacos, havia coisas que não se deviam misturar. Iamos em grupos, por vezes grandes grupos, a minha aldeia tinha muitas crianças, a alegria bailava nas ruas, nas portas e nas casas.

Hoje é um pouco, mas não muito diferente, apenas algumas nuances de modernidade se fazem notar, mas o que importa mesmo é que a tradição não se perca, as crianças merecem as tradições bonitas, elas são o melhor que o mundo tem. Todos um dia já o fomos e sabemos como é bom ser criança!

DSC07089.JPG

 Aqui vos mostro a minha cesta com os saquinhos que preparei com carinho para os meninos e meninas que à minha porta virão bater com a linda frasse "Há Pão por Deus"

O verão, as férias, a piscina e o mar

Lá em baixo está a piscina e o relvado, está um pai deitado na relva que vai levantando e baixando uma perna, as suas crianças divertem-se a saltar por cima da perna, elas correm e saltam uma e outra e outra vez, depois desatam a correr a volta da piscina com uma energia que não se esgota. Como é bom  ver e sentir as crianças felizes.

 

Noutro ponto da relva está um grupo de adolescentes a jogar às cartas, estes também se divertem exercitando o cérebro, puseram de parte por, talvez umas horas as tecnologias.

 

Grandes e pequenos refrescam-se na piscina, mergulham, nadam, brincam.... o calor é muito e é verão!

 

As espreguiçadeiras estão para os que querem descansar e aproveitar as sombras, lendo livros e revistas ou apenas conversando uns com os outros.

O colorido e a graciosidade que o cenário apresenta é agradável aos olhos de quem se encontra uns metros mais acima e, de onde pode desfrutar de uma paisagem lindíssima com o mar como pano de fundo. Bem lá ao longe no meio do azul vislumbra-se um veleiro de pequeno porte, certamente um barco de recreio, também estes, os ocupantes do veleiro estarão no pleno gozo das suas férias...

the_simpsons_holiday_by_halleyac-d35nzp2.jpg

 

Mais uma criança que cai de uma varanda

Estou a ver as notícias na televisão, mais uma notícia de uma criança que cai de uma varanda. Verifico que isto acontece às vezes por negligência dos adultos e muitas das vezes por falta do cumprimento rigoroso das normas de segurança na construção dos edificios. Já tenho deparado com situações de janelas e varandas em edificios novos que, olhando para aquilo, dou por mim a interrogar-me - como é possivel que quem projetou e quem construiu não reparou que isto é altamente perigoso para as crianças?

 

Ou será que, quem projetou não reparou, quem licenciou, não reparou, quem construiu seguiu o projeto e deu naquilo!

Depois acontecem os acidentes e de quem são as culpas?

Brincadeiras no parque

No parque brincavam crianças, havia um grupo que se destacava, com a orientação de um adulto as crianças faziam uma roda e brincavam felizes, no entanto, a uns metros de distãncia encontrava-se um menino amuado e as lágrimas corriam pelo seu rosto, um adulto lhe terá contrariado a vontade, os outros brincavam e ele ali permanecia encostado ao muro, até que a determinada altura alguém conseguiu contrariar o seu amuo sem lhe fazer a vontade, as palavras certas e o jeito de as dizer produziram o efeito pretendido.  Voltou a juntar-se às outras crianças e a festa continuou. O bolo da menina que fazia anos encontrava-se em cima de uma toalha e a toalha em cima de uma manta de piquenic, todos os meninos e meninas se sentaram em redor e cantaram parabéns à aniversariante e todos comeram bolo de seguida. A menina estava radiante, era o seu aniversário, a sua festa com os seus convidados. Que bom fazer anos quando se é pequeno, a festa é nossa, somos o elemento principal da festa e recebemos prendas que adoramos.Todas as prendas são surpresas. No entanto não somos sempre pequenos, os dias, meses, anos decorrem a um ritmo alucinante e quando ainda não demos conta, as crianças já são grandes, já não querem festas organizadas por nós, já não sabemos que prendas havemos de lhes dar (eles têm tudo e o que não têem é demaziado caro para se poder oferecer). Olhamos para trás e sentimos saudades de quando eram pequenos, de quando dependiam de nós para tudo!

Imaginei um mundo...

Imaginei um mundo onde não houvesse mentira, falsidade, ganância, fome, corrupção, crime.... imaginei um mundo onde os homens e mulheres se ajudassem, se amassem.... imaginei um mundo onde cada um tivesse direito a uma casa, comida, agasalho... imaginei um mundo onde as crianças tivessem tempo para brincar na rua sem ter um monte de atividades extra para cumprir... imaginei um mundo onde cada um pode fazer alguma coisa para o melhorar... será utopia?