Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Quando algo nos foge

16.07.19 | Maria Flor | ver comentários (2)
Sem conseguires evitar, algo te escapa entre os dedos e que, no teu coração está amarrado. Tentas soltar essa "coisa" que poderás apelidar de amor ou outro nome que aches mais apropriado, no entanto, embora te esforces, esse fenómeno é mais forte que tu e sem quereres (...)

Espírito de Natal e o Rudolfo

20.12.18 | Maria Flor | comentar
A manhã estava fria,  a geada cobria as ervas e sentia-se a humidade da madrugada ainda a pairar no ar. Olhei para a rua através das vidraças e vislumbrei um saco vermelho pendurado no portão, intrigada, perguntei-me o que seria aquilo. Vesti um roupão quentinho e (...)

Quando vem o sol

28.03.18 | Maria Flor | ver comentários (3)
É hora de começar a limpar. Limpar as paredes que criaram humidade no tempo chuvoso, limpar as ervinhas que estão a mais no quintal, e limpar as teias de aranha que estão na cabeça, estas são seguramente as mais difícieis de eliminar, mas com um solinho a aquecer e (...)

Amor, essa palavra que invade o coração

14.11.16 | Maria Flor | ver comentários (12)
"Amor, uma palavra tão pequena que se torna tão grande quando o sentimos em nosso coração. Sentimento tão imenso quanto o céu, tão radiante quanto o sol e tão forte quanto o mar. Como disse o poeta: "é fogo que arde sem se ver, ferida que dói e não se sente", sim (...)

Aquele dia de Abril

12.04.16 | Maria Flor | comentar
Percorro a rua central daquele espaço cercado por um muro alto pintado de branco, dentro desse espaço existem muitos espaços pequenos de fora retangular cobertos por uma pedra de mármore branca, e em alguns casos de pedra preta de granito. Em qualquer dos casos estes (...)

Se fosse eu

06.04.16 | Maria Flor | comentar
O que colocava eu, numa mochila se tivesse que fugir da guerra e pedir refúgio noutro país? Não podia levar uma mochila muito grande porque não teria força para a carregar, então levaria: Umas calças de ganga, duas camisolas finas ou grossas conforme o tempo, um (...)

Pedido de desculpas

22.12.15 | Maria Flor | ver comentários (2)
Porque teria Mariana assumido aquele comportamento tão descontrolado? Dizia coisas despropositadas para tarefa que estava a executar, ia ofendendo a colega com palavras e atitudes sem nenhuma razão de ser, ia-a ofendendo profundamente.    Sónia nem estava a acreditar (...)

Tal como o sol

20.08.15 | Maria Flor | comentar
  Embalada pelo murmúrio das ondas,  acariciada pelo sol, bafejada pela aragem leve, embrenhada em pensamentos tão longínquos como o (...)