Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Maçã e canela

Hoje a minha casa cheira a maçã e canela. Ontem, mesmo com aquela chuva, fui ao supermercado e comprei uma vela que liberta aroma de maçã e canela.

O tempo lá fora era húmido, frio  e triste, dentro da minha casa havia calor e cheirava a maçã e canela, estava confortável e havia calor fisico e humano!

essencia-vela-abricot-e-basilic-420001.jpg

 Hoje voltei a acender a vela e cheira a maçã e canela!

As memórias de uma casa

Por várias vezes tenho reparado naquela casa que tem na varanda um letreiro que diz "Vende-se". Soube há algum tempo que o seu proprietário morreu, ele vivia ali com uma senhora, pessoas "entradotas" na idade, para não dizer idosas, porque já o eram, pessoas que eu conhecia e que via várias vezes a passear de carro e também a almoçar num restaurante que eu regularmente frequentava.

 

O senhor morreu, quanto à senhora, nunca mais a vi. O jardim da casa estava sempre bem cuidado, as flores que o embelezavam estavam sempre coloridas, a piscina estava sempre azul. Agora, o jardim tem um aspeto pouco cuidado, a piscina está vazia, os estores estão sempre para baixo, a vida que existia naquela casa e naquele jardim desapareceu.

 

Hoje, quando passei por aquela rua, olhei para a casa, o letreiro já não estava lá. Certamente que já foi vendida.

A casa voltará a ter vida, a piscina voltará a ter gente a mergulhar nela, as flores voltarão a desabrochar bonitas e coloridas.

 

Os novos proprietários irão dar uma renovação à casa, com tinta nova irão apagar memórias que aquelas paredes testemunharam, irão apagar momentos de amantes que dentro daquelas paredes segredaram palavras que só eles ouviam. Com a substituição dos móveis irão apagar o conforto que se viveu afundado num sofá macio, irão apagar as noites passadas no aconchego de uma sala aquecida por uma lareira, irão apagar a azáfama que se viveu nas vésperas de natal na preparação da consoada. Com outras vidas, irão apagar as vidas que já se apagaram nas paredes daquela casa. Com a renovação da casa, irão apagar todas as memórias vividas, irão criar novas memórias....

 

Mas as memórias dos mortos não se resumem apenas às memórias que as paredes presenciam. Essas memórias podem-se apagar com o rolo e a tinta ou o papel de parede e a substituição dos móveis. As memórias dos mortos ficam na memória dos vivos que os amaram, aí sim, eles permanecem sempre vivos, independentemente das paredes que os protegeram!

Dia da terra

A terra é o teu mundo, a tua casa, por isso, mesmo só por isso, respeita-a e respeita aquilo que dela brota. É a terra que te dá tudo, mesmo tudo incluindo tudo aquilo que compras nas grandes lojas e supermercados, tudo aquilo que não fazes a mínima idéia de onde vem.

Tudo vem da terra e tudo para ela volta!

 

Como hoje é o dia da terra nunca é demais refletir sobre lsto 

Quando o telefone fixo toca

Antes só existia o telefone fixo, era preciso chegar a casa para poder contatar com as pessoas que precisavamos de falar. Era preciso chegar a casa para que os outros nos contatassem, muitas vezes a interromper a nossa preparação do jantar ou do banho das crianças. Ouvia-se aquele toque estridente trrrriiim, lá corriamos para o telefone antes que se desligasse e ficavamos para saber quem tinha ligado. Hoje não é nada assim, tudo mudou e muito.

 

Agora, quando o telefone fixo toca, quase sempre são aquelas pessoas que nos querem impingir qualquer coisa, um seguro, um cartão de crédito ou uma coisa qualquer de saúde.

 

Começam assim: boa tarde ou bom dia,conforme a hora, estou a falar com a senhora tal.... fala de... quase nunca se percebe o nome que elas ou eles dizem de onde falam, o que nos obriga a a pedir que repitam. É quando eles ou elas repetem o nome do sitio de onde falam que eu lhe digo logo - desculpe, já sei que me está tentar vender qualquer coisa, não estou interessada - mas ainda não ouviu o que tenho para lhe "oferecer" é uma excelente oportunidade - e eu, desculpe, eu a apelar a toda a minha paciência para não ser mal educada, desculpe mas eu não estou interessada em cartões, não quero cartões, e ele ou ela a insistir, e eu a terminar, - desculpe, estou muito ocupada e vou desligar. Desligo.

 

Com todo o respeito que tenho por eles ou elas, sei que estão a fazer o seu trabalho o melhor que sabem, e que esse é o seu trabalho, para isso recebem o salário ao fim do mês, mas que chegam a ser irritantes é uma verdade.

 

E quando dizem que vamos receber em casa qualquer coisa que não temos que pagar nada, eu aviso de imediato, não mandem nada porque eu não quero nada, percebeu.

 

Quando o telefone fixo toca, lá vou atender, às vezes não são eles ou elas, também são as manas ou as amigas!

telefone-fixo.jpg

 

 

Sem abrigo

Através das vidraças vai olhando as grossas bagas de granizo que se espalham no chão, vê o dia tornar-se noite, sente um frio gélido na pele, o vento rodupia....

É sabado, aninha-se no sofá da sala, pega um livro, mas o pensamento está naqueles que não tem um sofá para se anhinhar, nem tão pouco uma casa onde se abrigar. Está naqueles que vivem na rua embrulhados na sua tristeza, à espera de uma sopa quente que lhes aqueça o estómago e a alma. Está naqueles que fazem da rua a sua casa, de papelão a sua cama e se embrulham num qualquer cobertor que lhes foi dado, qualquer canto onde a chuva não chegue serve para fazer a sua casa naquela noite. Vivem no meio da sociedade mas à margem dela, são intitulados "sem abrigo".

sem abrigo.jpg

 

Sismo no Nepal

A natureza não perdoa, catástofres naturais acontecem quando menos se espera, hoje foi sentido um sismo de magnitude 7,9 na escala de Richter que atingiu fortemente o Nepal e foi ainda sentido em regiões da Índia, China e Bangladesh, provocando muitas mortes.

 

Ainda tenho na lembrança o sismo que se sentiu em Portugal em 1969, era ainda pequena e lembro-me bem de acordar a meio da noite e ouvir um grande barulho, o meu pai meio desorientado já andava a pé pela casa à procura da porta que parecia que tinha desaparecido devido ao tempo que levava a encontrá-la... saímos todos para a rua onde todos os vizinhos já se encontravam alarmados em camisas de noite e pijamas...

 

"A cidade [de Lisboa] estava silenciosa. As chaminés começam a cair, a louça começa a cair dentro dos armários, o barulho que se espalha nos bairros é enorme e uma parte significativa da população sai para a rua na perspectiva de se afastar dos edifícios, que podem cair se houver outro abalo"

O sismo "é razoavelmente longo. O tempo em que é sentido pelas pessoas é razoavelmente grande, o que permite todo o pânico que se pode desenvolver durante um minuto de uma casa a abanar", 

http://www.sol.pt/noticia/388436

Deixa entrar o sol

Abre portas e janelas, deixa entrar o sol na tua casa, deixa entrar o sol na tua vida! deixa que o sol liberte o teu espírito das inquietudes invernis, faz com que ele dê brilho aos teus pensamentos, às tuas atitudes... deixa o sol aquecer e fazer transparecer tudo o que de bom existe dentro de ti... tu és uma pessoa boa, tens que acreditar nisso! Os outros esperam muito de ti, dá-te sem medos de mal-entendidos... sê tu própria em toda a tua personalidade... 

Férias

Férias não são só sol, praia e passeios. Outras coisas se fazem nas férias, como tirar prazer de estar em casa e com calma fazer algumas arrumações, ao fazê-lo mexe-se em objetos que estão arrumados há tanto tempo que já ficaram esquecidos. Os albuns de fotografias deslumbram cada vez que os abrimos, pois cada vez as diferenças entre aquilo que fomos e aquilo que somos hoje, são maiores; já nem conhecemos aquelas garotinhas de minisaia e calças à boca de sino, de pele lisa sem rastos de preocupação, com uma "vida inteira pela frente". Estar em casa e usar o tempo com tranquilidade só para si própria, ouvindo música, olhar o horizonte, as árvores, os pássaros, repousar na espreguiçadeira na varanda e, no fim do dia assistir ao pôr do sol, dá um prazer imenso.