Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Os sapatos novos

Entrou na sapataria com um objetivo, precisava de uns sapatos elegantes mas discretos e confortáveis, não podiam ser muito altos, a sua coluna não permitia grandes aventuras com sapatos, não podiam ser muito estreitos à frente, as unhas dos seus pés eram um pouco complicadas, mas precisava de uns sapatos elegantes, a ocasião onde se destinavam a ser usados assim o exigia. Habituada a andar sempre de calçado quase raso ou com dois ou três centímetros de altura, agora não podia comprar qualquer coisa, tinha que ser algo com que pudesse caminhar e também dançar sem problemas nos pés ou na coluna. Assim, percorreu com os olhos as prateleiras da sapataria com sapatos elegantes, não queria botas.

Aquela loja não tinha nada daquilo que pretendia, saiu, entrou na seguinte, experimentou um, outro e outro par, parecia que nada a satisfazia, uns ficavam apertados, outros eram largos, estava dificil a decisão. Não queria de modo nenhum comprar uns sapatos para ficarem arrumados na prateleira por não conseguir usar, para isso já lá existiam alguns do tempo em que podia usar saltos altos e que não tinha coragem de se desfazer deles. Tinha paixão por sapatos mas gostava de os usar todos.

Após algum tempo de experimentar uns e outros, dirige-se á prateleira e retira um par para o qual tinha olhado assim aque lá chegara mas que achara que não era aquilo que queria, exerimentou e o pé encaixava na perfeição, calçou o outro e caminhou um pouco, sim, são estes que vou levar, acabou por concluir que aquela era a melhor escolha, pronto, levo estes!

Já em casa voltou a calçar os sapatos mas após alguns minutos de caminhar com eles aquela malvada unha, começou a manisfestar-se, a reclamar, decidiu então que tinha que os alargar um pouco antes de os usar na rua e calçou umas meias mais grossas, enfiou os pés lá dentro e andou assim com os pés em sofrimento durante algum tempo, mas resultou, os sapatos alargaram um pouco e a unha já se sente bem lá dentro, estão prontos para sair á rua!

O que uma mulher sofre para andar elegante!!!!! Homens não têm problemas com sapatos...... nem precisam de os colecionar.....

alargar-sapatos.jpg

 (Imagem da net)

 

Sandálias e compras

Aquela saparia é a sua preferida, quando passa em frente da montra, são raras as vezes que resiste sem entrar, sapatos e malas são quase um vício, a montra é atrativa, os sapatos e sandálias também, não resiste desta vez e entra, procura nos expositores as sandálias de que gosta e que lhe proporcienem conforto ao andar, experimenta alguns exemplares, umas sandálias de tirinhas e brilhantes, razinhas, extremamente confortáveis, outras de tiras mais largas de duas cores com cunha, igualmente muito confortáveis, fica indecisa, qual das duas leva. Ainda experimenta outras, adora experimentar sapatos ver como ficam no pé, ela tem um pé bem feito, qualquer coisa lhe fica bem, mas não é qualquer coisa que lhe proporciona conforto, tem que ter cuidado com o que compra, gosta de calçado bom, nunca compra nada para calçar nos chineses, duvida da qualidade dos produtos. Decide-se pelas primeiras que experimentou, compra os dois exemplares, não é que necessite delas, mas gosta de comprar e de ter para ir variando de acordo com o que veste ou com a ocasião. Vai pensando no que tem em casa para calçar e que já não use há algum tempo, decide que tem que ir verificar o que tem guardado e ainda não tirou das caixas. No dia seguinte ao fazê-lo fica espantada porque tem lá umas sandálias do mesmo modelo, apenas de cor diferente iguais às que acabou de comprar, "és mesmo maluca, até já compras duas vezes a mesma coisa". Agora tem que ir trocar por outras diferentes, o que vale é que a loja é perto de casa e assim não tem que fazer quilómetros para efetuar a troca.

Atualmente ela só usa calçado raso ou de cunha pequena, O calçado compensado e de saltos já não lhe confere qualquer conforto, pelo contrário, cansa-lhe as pernas, as costas e dá-lhe instabilidade no caminhar!

Segurança no trabalho

Todos temos direito a trabalhar com as medidas de segurança adequadas. Por negligência das empresas ou dos funcionários muitas vezes essas medidas não são respeitadas. Os acessórios indicados para executar determinadas tarefas são por vezes incómodos e, por essa razão são postos de parte. Ela tinha calor nos pés não suportava o calçado fechado que as normas indicavam para usar, descurou, calçou calçado bem aberto e trabalhava assim até ao dia em que entalou um dedo do pé numa grade e caiu, partiu o dedo, magoou as costelas. Esteve de baixa, o seguro apresentou alguma relutância em pagar despesas já que o calçado usado não era adequado às funções desempenhadas. 

chapc3a9u-sapato.jpg

(Imagem tirada da net)