Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Parque de estacionamento

Sempre que vai à vila estaciona o carro naquele parque, um parque de estacionamento bem no centro, dali, vai-se com facilidade a qualquer ponto da vila, por isso, embora pago, está sempre lotado, não raras são as vezes que estão carros em fila de espera, à espera que alguém saia. Não era o caso naquele dia, havia muitos lugares disponíveis.... porque seria? a resposta não se fez esperar.... ali estavam eles com os coletes verde alface  de bloco  e caneta na mão.

A moça estacionou, por alguns momentos ficou a olhar para eles, ora para um, ora para outro, um mais acima, outro mais abaixo, os dois a escrever e a prender um papelinho no  limpa para brisas de todos os carros que não tinham o papelinho quadrado comprovativo do pagamento e tempo que ali podia permanecer.

Pegou na malinha, sacou de lá a carteira e procurou algumas moedas para ir colocar na máquina... desta vez não podia facilitar... outras vezes havia em que se esquecia da máquina ou não tinha moedas.... tivera sempre sorte... nunca lhe apareceu um bilhetinho no limpa para brisas.

Papelinho na mão, colocou-o no sitio certo, bem visível para que o polícia o visse, não fosse o diabo tecê-las. Entretanto tinha-se aproximado um rapaz que tinha o carro bem perto do agente e verificou que tinha lá o dito papel que retirou e se dirigiu ao agente, trocaram algumas palavras, após o que o rapaz seguiu o seu caminho que se cruzou com o da moça, trazia o dito papelinho na mão, ela perguntou-lhe se o guarda tinha retirado a coima --- não, e olhe que trabalho aqui perto, respondeu ele. - Pois é.... não podemos facilitar, disse ela. Trocaram mais alguma palavras e cada um seguiu o seu caminho.

Descansada, seguiu para tratar os assuntos que ali a levaram, ia pensando enquanto caminhava que foi uma sorte ter chegado ali quando os agentes ali estavam senão era bem provável que quando chegasse ao carro deparasse com a desagradável surpresa de um elegante papelinho que lhe custaria bem caro. 

E não é que ultimamente andava com a mania de facilitar... eles não aparecem aqui, pensava... pensava, mas agora já não pensa, porque após ter visto isto já não se vai fazer de esquecida, não!

Se há dinheiro que ela ache mais mal empregue e lhe custa a pagar são o dinheiro das multas. Raios... deixamos ali uma pipa de massa e não trazemos nada connosco! Digam lá se não é um raio de um dinheiro mesmo mal gasto?

post-multa-transito-evitavel.jpg

 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.