Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

O voo da gaivota

"Ditosa voava solitária na noite de Hamburgo. Afastava-se batendo as asas energicamente até se elevar sobre as gruas do porto, sobre os mastros dos barcos, e depois regressava planando, rodando uma e outra vez sobre o campanário da igreja. Estou a voar! Zorbas! sei voar! - grasnava ela, eufórica lá da vastidão do céu cinzento.... "

... à beira do vazio a gaivota compreendeu que

"Só voa quem se atreve a fazê-lo"

gaivota.jpg

 Do livro de Luís Sepúlveda (História de uma gaivota e do gato que a ensinou a voar)

Uma excelente história contada como uma fábula e repleta de mensagens como só Sepúlveda sabe contar!

6 comentários

Comentar post