Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

O Sr Bernardo

O sitio e a posição em que aquele cadeirão se encontrava disposto naquela sala oferecia uma visão perfeita a quem nele se sentasse, de tudo o que se passava em redor. O Sr. Bernardo, era uma pessoa quase obesa, a sua barriga enorme e muito redonda fazia lembrar uma bola de pilates, deslocava-se com a ajuda de uma bengala e possuia igualmente um rosto redondo e um soriso encantador, habitualmente ocupava o cadeirão  quando lia o jornal, gostava de estar informado e gostava de ocupar o tempo, embora o cadeirão lhe oferecesse uma boa visão de tudo, nunca se ouvia um comentário de crítica a alguma coisa ou a quem quer que fosse. Ele presenciava e ouvia muitas coisas. O Sr. Bernardo era uma pessoa educada e culta. Quando ela chegava cumprimentava-o sempre com um alegre "bom dia sr. Bernardo" ele dirigia-lhe aquele bonito sorriso como cumprimento. Gostava de boa comida e bem regadinha.

 

Porém, naquele dia o Sr.Bernardo não se encontrava no cadeirão, teria ido ao quarto, ou saído com alguém, as suas pernas e o peso da sua barriga já não lhe permitiam nem grandes nem pequenas aventuras e frequentemente se queixava de desconforto. Não abedicava de bons pratos.

 

O Sr. Bernardo estava no quarto, deitado com a sua barriga apoiada nos lençóis brancos de algodão que cobriam o colchão da sua cama, tinha mau aspeto, estava pálido e sem sorriso nos lábios. Os bons pratos nem sempre ajudavam o bom funcionamento do seu organismo.

 

Naquele dia nada comeu, apenas bebeu chá, tinha que recompor  o funcioamento normal do mecanismo que era o seu corpo, não saiu do quarto e o cadeirão ficou vazio, inerte e frio, embora a temperatura por fora das paredes fosse quente, como um calor de verão. 

 

3 comentários

Comentar post