Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Na parede de pedra

O sol, a praia, o céu azul, o mar, os passeios à beira mar, os longos dias, o vento, o nevoeiro matinal, os chuviscos, o tempo encoberto, manhãs e noites frias intercaladas com algumas manhãs e noites quentes, é isto o Verão na minha zona de morada. Sempre que posso e, ou me apetece dou um pulinho até à praia, quase sempre está vento, salva-me o corta vento, apanho sol, vou ao banho, a água é fria, (nem sempre é fria) por incrível que pareça, eu gosto desta água fria, da areia molhada, do corpo molhado a escorrer estas pingas frias, depois sento-me na toalha e olho longe, lá estão eles, estão sempre lá, se não são uns, são outros, mas estão sempre lá, as pranchas não tem descanso e quem as monta também não, estão horas naquilo, depois regressam, despem aqueles fatos e vestem casacos quentes por alguns momentos, ou não fazem nada disto e vão embora assim mesmo com a prancha debaixo do  braço, está feito o desporto de hoje.

Está calor, vou até à água refrescar quando regresso, estou a escorrer, olho para cima, para a parede de pedra que se encontra à minha frente, a parede que suporta o acesso até à praia, e vejo isto, esta planta que no meio das pedras nasceu e cresceu, talvez outras sementes também tenham germinado nesta parede, mas apenas esta vingou, a lei dos mais fortes, tal como os homens também a natureza se rege segundo esta regra. Fico por alguns momentos ali a olhar e a pensar, "tu podes estar no meio do nada, mas isso não te impede de vingar no teu objectivo, apenas tens que possuir uma força de vontade e fazer acontecer", vê esta planta, aqui sozinha no meio do nada, ninguém trata dela, nem água lhe dão e ela cresce...e floresce.

Hoje o sol aqueceu, a praia está composta, tudo com as devidas distancias, tem que ser, não se pode facilitar mesmo que já estejamos vacinados,  os grupos de jovens lá estão sempre naquela zona, mais para a esquerda, a música deles não pára, tenho que ser justa para mim mesma e não estender a toalha muito perto deles senão quero ser incomodada com a musica e as conversas deles. É tão bom ser jovem, sentir a vida a pulsar... mas tudo tem a beleza certa na idade certa, há que saber aproveitar o de melhor que cada idade oferece!

20210728_173326.jpg

 

5 comentários

Comentar post