Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Desafio "Arte e Inspiração" O Beijo #7

O despertar para a vida surgia em cada dia, sempre ávida em viver novas experiências, tropeçando em cada esquina, tabus sobre tabus travavam essa avidez que expelia dos seus poros.

Naquele dia os seus caminhos cruzaram-se, ele, um rapaz alto e atraente, de sorriso aberto, alegria em cada linha do seu rosto, sempre algo agradável e com graça para dizer, todos se sentiam bem na sua companhia, onde ele estava pairava sempre um ar de festa, ela ficou fascinada com tão grande espontaneidade e começou a prestar-lhe atenção, ele também reparou nela no seio do pequeno grupo.

Estaria o destino a ditar as cartas??

Num dos pequenos passeios que habitualmente faziam aos domingos juntamente com outros amigos e amigas pelos caminhos da aldeia, naquele dia foram para um caminho mais discreto longe dos olhares. Enquanto entretidos num jogo de mãos que ele lhe  ensinara, aquecida com a sua voz terna e palavras carinhosas, os seus rostos se aproximaram, os seus corações pediam e os lábios cederam a um leve e suave beijo, envolvidos no mais doce e quente abraço. 

O mundo fugiu-lhe, sentiu-se flutuar na atmosfera, inebriada com o toque quente dos seus lábios carnudos, enlouquecida com o seu cheiro... soube naquele dia que aquele era o homem da sua vida.

Foi o seu primeiro beijo. 

O destino estava traçado!

gustav-klimt.jpg

Viveram um namoro alegre e apaixonado, com muitos beijos e muitas cartas, casaram uns anos mais tarde, construiram uma casa, o seu ninho, tinham uma vida simples com muito amor e eram felizes, já tinham dois rebentos a desabrochar para a vida.

Havia tantos sonhos, tantos projectos...

Um dia algo inesperado aconteceu, nada fazia prever aquilo, aquelas coisas só acontecem aos outros... fizeram-se exames.... a alegria desapareceu dos seus rostos, pairava uma sombra cada vez mais escura em todos os dias, mesmo nos mais resplandecentes cheios de sol.... já não viam o sol....

Mas tinham os rebentos, tinham que ser fortes, escondendo tristezas em alegrias camufladas, até que o sol se fechou para sempre para os seus olhos, os seus lábios se fecharam num derradeiro adeus e, ela sentiu o frio cortante num último beijo!

O destino ditou as cartas, os seus rebentos são a continuação dos seus sorrisos!

 

No âmbito do desafio "arte e inspiração" participo eu e:

Fatima Bento, Ana de DeusAna Mestrebii yue, Bruno ErvedosaCélia, Charneca Em FlorCristina AveiroGorduchitaImsilvaJoão-Afonso MachadoJosé da XãJorge OrvélioLuísa De SousaMaria AraújoMarquesaMiaOlgaPeixe FritoSam ao LuarSetePartidas ,bii yue

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.