Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Anne Frank

Hoje veio-me à memória um livro que li há muitos anos  e que reli há poucos anos. o Ano passado tive a oportunidade de fazer um passeio à Holanda e tive pena de não poder visitar a casa de Anne Frank, mas visitei o Museu de Cera Madame Tussauds em Amesterdão. Este museu em Amesterdão é um dos melhores locais para visitar, é um famoso museu de bonecos de cera que imitam pessoas famosas, celebridades, actores, cantores, líderes mundiais e ícones. As estátuas de cera são réplicas em tamanho real, as personagens e as semelhanças são impressionantes, mesmo muito impressionantes. Uma das personagens que tinha curiosidade de ver era Anne Frank, por ter lido o livro e conhecer a sua triste e real história, posso afirmar que muito me impressionou e comoveu ver a sua figura de cera em tamanho real tão perfeita e imaginar os seus últimos anos de vida! 

Para quem conhece a história de Anne Frank, do seu isolamento, a sua perda de direitos como cidadã e dois anos de confinamento, é hora de parar um pouco e pensar!

Deixo aqui um pequeno apontamento da sua história!

"Como é que os habitantes da casa passaram os 761 dias em que viveram clandestinos? Uma boa parte do dia em silêncio, sem luz natural. A ler, estudar, conversar, ouvir a BBC e seguir o movimento das tropas, pensar no que fariam no fim da guerra, espreitar o céu no sótão (o único compartimento onde havia uma janela e era possível respirar ar fresco), fazer a vida de casa (limpar, cozinhar). A escrever (que seria de Anne sem o diário?) A não usar o autoclismo entre as oito e as nove horas da manhã (apenas um empregado estava a essa hora e seria suspeito ouvir o barulho da descarga). A andar com pés de lã até às seis da tarde (quando os empregados despegavam e se cantava liberdade no anexo). A não discutir, a quase não falar, até às seis da tarde. A não correr riscos."

Anne frank.1.jpg

"A não correr riscos" é isto que não nos podemos dar ao luxo de fazer, correr riscos! Anne Frank viveu no tempo da segunda guerra mundial e foi vitima do holocausto, nós estamos a viver a (terceira guerra mundial) e estamos a ser vitimas do corona- vírus, um inimigo invisível, um fantasma que ninguém sabe em que esquina ele se esconde!

4 comentários

Comentar post