Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

A prenda dele para ela

Tinha muito carinho por aquelas rosas, alguém muito especial lhas tinha oferecido, eram três rosas vermelhas dotadas de um perfume perfeito. Tinham sido colhidas de um jardim, criadas ao ar livre. Ele tinha-lhe dito "não te posso oferecer mais nada, ofereço-te estas rosas com todo o carinho que o meu coração nutre por ti". Colocaras-as numa jarra de vidro, no quarto, sempre que passava por elas, tomava-lhes o perfume de perto, era como se um beijo recebesse. Poucos dias passados caiu a primeira pétala, sinal de que o seu fim estava muito próximo, no dia seguinte cairam mais. Foi recebendo as pétalas caídas num pequeno prato banhado a prata, iria deixá-las secar e guardá-las num saquinho de rede fina e colocá-las no armário da roupa. Assim, elas permaneceriam mais tempo com utilidade!

 

Na verdade, ninguém lhe tinha oferecido as rosas que também não eram vermelhas, ela própria as tinha colhido no jardim, a cena tinha se passado apenas na sua memória, ele já partira há muito tempo, mas tinha plantado aquela roseira antes de partir. Todos os anos naquela roseira floresciam aquelas rosas de perfume inconfundível, era a sua preferida. Quando as colhia sentia sempre que era ele que lhas oferecia. Este ano, a roseira ofereceu-lhe rosas no Natal, eram a prenda dele para ela!

(ficção)

Simpatias-Infalíveis-para-Amor.jpg

 (imagem tirada da net)

3 comentários

Comentar post