Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Sem abrigo

Através das vidraças vai olhando as grossas bagas de granizo que se espalham no chão, vê o dia tornar-se noite, sente um frio gélido na pele, o vento rodupia....

É sabado, aninha-se no sofá da sala, pega um livro, mas o pensamento está naqueles que não tem um sofá para se anhinhar, nem tão pouco uma casa onde se abrigar. Está naqueles que vivem na rua embrulhados na sua tristeza, à espera de uma sopa quente que lhes aqueça o estómago e a alma. Está naqueles que fazem da rua a sua casa, de papelão a sua cama e se embrulham num qualquer cobertor que lhes foi dado, qualquer canto onde a chuva não chegue serve para fazer a sua casa naquela noite. Vivem no meio da sociedade mas à margem dela, são intitulados "sem abrigo".

sem abrigo.jpg

 

Sismo no Nepal

A natureza não perdoa, catástofres naturais acontecem quando menos se espera, hoje foi sentido um sismo de magnitude 7,9 na escala de Richter que atingiu fortemente o Nepal e foi ainda sentido em regiões da Índia, China e Bangladesh, provocando muitas mortes.

 

Ainda tenho na lembrança o sismo que se sentiu em Portugal em 1969, era ainda pequena e lembro-me bem de acordar a meio da noite e ouvir um grande barulho, o meu pai meio desorientado já andava a pé pela casa à procura da porta que parecia que tinha desaparecido devido ao tempo que levava a encontrá-la... saímos todos para a rua onde todos os vizinhos já se encontravam alarmados em camisas de noite e pijamas...

 

"A cidade [de Lisboa] estava silenciosa. As chaminés começam a cair, a louça começa a cair dentro dos armários, o barulho que se espalha nos bairros é enorme e uma parte significativa da população sai para a rua na perspectiva de se afastar dos edifícios, que podem cair se houver outro abalo"

O sismo "é razoavelmente longo. O tempo em que é sentido pelas pessoas é razoavelmente grande, o que permite todo o pânico que se pode desenvolver durante um minuto de uma casa a abanar", 

http://www.sol.pt/noticia/388436

Deixa entrar o sol

Abre portas e janelas, deixa entrar o sol na tua casa, deixa entrar o sol na tua vida! deixa que o sol liberte o teu espírito das inquietudes invernis, faz com que ele dê brilho aos teus pensamentos, às tuas atitudes... deixa o sol aquecer e fazer transparecer tudo o que de bom existe dentro de ti... tu és uma pessoa boa, tens que acreditar nisso! Os outros esperam muito de ti, dá-te sem medos de mal-entendidos... sê tu própria em toda a tua personalidade... 

Férias

Férias não são só sol, praia e passeios. Outras coisas se fazem nas férias, como tirar prazer de estar em casa e com calma fazer algumas arrumações, ao fazê-lo mexe-se em objetos que estão arrumados há tanto tempo que já ficaram esquecidos. Os albuns de fotografias deslumbram cada vez que os abrimos, pois cada vez as diferenças entre aquilo que fomos e aquilo que somos hoje, são maiores; já nem conhecemos aquelas garotinhas de minisaia e calças à boca de sino, de pele lisa sem rastos de preocupação, com uma "vida inteira pela frente". Estar em casa e usar o tempo com tranquilidade só para si própria, ouvindo música, olhar o horizonte, as árvores, os pássaros, repousar na espreguiçadeira na varanda e, no fim do dia assistir ao pôr do sol, dá um prazer imenso.