Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

Escrita e leitura

Quando uma publicação te dá o direito a um destaque pela equipa sapo e te traz novos seguidores é motivo para colocares um sorriso no rosto e te sentires feliz porque sabes que alguém do outro lado deste ecrã te lê e aprecia de algum modo aquilo que escreves. Desenvolver uma escrita coerente e de fácil leitura é o teu objectivo, escreves porque alguém te lê, não importa que apenas meia dúzia de leitores te leiam, mesmo que fosse só um já valia a pena. Escrever em tempo de confinamento é uma excelente terapia, de alguma forma comunicas com ou outros e ajuda que o teu isolamento não se torne tão monótono. O tempo que dedicas a pensar no que escrever desenvolve as tuas capacidades e activa o teu cérebro, obriga-o a sair da letargia e dá-te conhecimento porque escrita é sinónimo de leitura. Escrita e leitura leva-te a outros mundos!

escrita-criativa.png

 

O sapinho e o bichinho da escrita

O gosto pela leitura e pela escrita começa muito cedo, ainda quando somos crianças pequeninas. Quando ainda era adolescente, mostrei a minha vontade de continuar estudos, tal não me foi permitido, assunto que me ficou sempre "atravessado na garganta". Lia sempre que podia, mas o mesmo já não se podia dizer com a escrita, às vezes começava um diário que passado pouco tempo abandonava e rasgava as páginas escritas. A minha escrita resumia-se apenas à correspondência que trocava com amigos e amigas, mais nada escrevia. Até isso acabou.

 

Muito anos depois, inscrevi-me num ensino de adultos e, foi-me pedido que escrevesse um texto, podia ser sobre mim. Com uma folha de papel branco à frente e um lápis ou caneta, não me lembro bem, olhei e pensei - o que vou escrever aqui e como vou escrever. Escrever alguma coisa sobre mim poderia ser fácil, tinha é que ser coerente e ter pontuação acertada para que os outros percebessem que era uma coisa e não outra que ali estava escrito. Mesmo assim, não poderia escrever coisas que só a mim pertenciam. Escrevi o texto, não me lembro o que lá escrevi.

 

O que importava realmente para eles, era verificar em que grau de escrita me enquadrava e não aquilo que eu era ou deixava de ser. Mas, nós a escrever alguma coisa sobre nós mesmas, queremos sempre deixar boa impressão a quem vai ler

 

Ingressei no ensino de adultos e, foi-me pedido que escrevesse muito, mesmo muito. Escrevi e ilustrei centenas de páginas em computador. Depois daquele ensino concluído o bichinho da escrita ficou entranhado. Um dia descobri o sapo blogs, comecei a interessar-me pela plataforma, que poderia ser um modo de pôr o bichinho a mexer. Já lá vão quatro anos que, umas vezes com mais, outras vezes com menos frequência aqui venho deixar as minha impressões e não deixar que o bichinho da escrita morra!

mão-667x376.jpg