Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

As férias

28.06.15 | Maria Flor

Finalmente uns dias de férias... Aproveitar para ir à praia, passear um pouco, almoçar com a familia e amigos, relaxar, repousar, pôr em dia algumas leituras, algumas arrumações e também visitar pessoas amigas e vizinhas. Comer sardinhas ou carapaus grelhados com uma boa salada de tomate e pepino, comer melancia, gelados e preparar bons refrescos naturais para combater o calor... tanta coisa e tão poucos dias, eles se esgotam num virar de olhos!

O meu refresco para hoje:

- Algumas folhas de hortelâ

- Rodelas de limão

- Cevada solúvel

- Uma colher de mel

- Água

Colocar tudo num jarro e levar ao frigorifico, fica delicioso e bastante refrescante.

DSC05350.JPG

 

A praia

24.06.15 | Maria Flor

Estendo na areia fina e dourada, a minha toalha de cor verde esmeralda e alguma fantasia amarela, dispo a pouca roupa que me cobre o corpo, passo o protetor solar de fator 30 e estendo-me ao sol. A areia está quente, o céu azul e a cor do mar é de um azul esverdeado transparente, uma cor linda. A temperatura da água é otima e que bem que sabe ir a banhos pela primeira vez neste verão. A praia não está cheia, mas tem o numero de pessoas suficientes para que todos possam relaxar e gozar a praia sem os atropelos de gente que enchem as praias aos fins de semana e nos meses de Julho e Agosto. Observo as pessoas, corpos bem torneados, outros nem por isso, corpos bronseados, outros muito brancos, biquinis minis e maxi... mas a minha atenção recai mais no vai e vem das ondas leves, nas gaivotas ou naquele avião que passou muito baixo e fez um barulho ensurdecedor.... uma nuvem começa a tapar o sol e logo arrefece, é tempo de levantar a toalha, vestir a roupa, calçar os chinelos de enviar no dedo e caminhar ao longo da praia, apreciar o quanto é bela a natureza...

fotos isabel 10 setembro 017.JPG

 

Nunca diga

24.06.15 | Maria Flor
 Um repórter perguntou à poeta Cora Coralina o que é viver bem. Ela lhe disse:

 

"Eu não tenho medo dos anos e não penso em velhice.
E digo pra você, não pense.
Nunca diga estou envelhecendo, estou ficando velha. Eu não digo.
Eu não digo que estou velha, e não digo que estou ouvindo pouco.
É claro que quando preciso de ajuda, eu digo que preciso.
Procuro sempre ler e estar atualizada com os fatos e isso me ajuda a vencer as dificuldades da vida. O melhor roteiro é ler e praticar o que lê.
O bom é produzir sempre e não dormir de dia.
Também não diga pra você que está ficando esquecida, porque assim você fica mais.
Nunca digo que estou doente, digo sempre: estou ótima.
Eu não digo nunca que estou cansada.Nada de palavra negativa.
Quanto mais você diz estar ficando cansada e esquecida, mais esquecida fica.
Você vai se convencendo daquilo e convence os outros. Então silêncio!
Sei que tenho muitos anos. Sei que venho do século passado, e que trago comigo todas as idades, mas não sei se sou velha, não. Você acha que eu sou?
Posso dizer que eu sou a terra e nada mais quero ser.
Filha dessa abençoada terra de Goiás.
Convoco os velhos como eu, ou mais velhos que eu, para exercerem seus direitos.
Sei que alguém vai ter que me enterrar, mas eu não vou fazer isso comigo.
Tenho consciência de ser autêntica e procuro superar todos os dias minha própria personalidade, despedaçando dentro de mim tudo que é velho e morto, pois lutar é a palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes.
O importante é semear, produzir milhões de sorrisos de solidariedade e amizade.
Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça.
Digo o que penso, com esperança.
Penso no que faço, com fé. Faço o que devo fazer, com amor.
Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende.
Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho incerto da vida, que o mais importante é o decidir."

CORA_111.jpg

 Cora Coralina (imagem da net)

 
 

 

A vida

23.06.15 | Maria Flor

A vida é como jogar uma bola na parede:

A vida é como jogar uma bola na parede:
Se for jogada uma bola azul, ela voltará azul;
Se for jogada uma bola verde, ela voltará verde;
Se a bola for jogada fraca, ela voltará fraca;
Se a bola for jogada com força, ela voltará com força.
Por isso, nunca "jogue uma bola na vida" de forma
que você não esteja pronto a recebê-la.
A vida não dá nem empresta;
não se comove nem se apieda.
Tudo quanto ela faz é retribuir e transferir
aquilo que nós lhe oferecemos.

Albert Einsten

Escolhas

19.06.15 | Maria Flor

São as nossas escolhas que definem quem somos,

As escolhas certas ou incertas moldam a nossa vida,

O nosso olhar nos faz ver mais longe…alcançar o horizonte,

O nosso coração faz-nos abraçar o outro e o mundo!

(Abrigo das letras)

 

Livros são janelas

11.06.15 | Maria Flor

"Vi um livro no lixo e arrepiei-me pensando que há livros que nascem mortos.

Pode-se viver sem ler ?

Quem não lê não entra no rio da história e quem lê é como o mar onde desaguam muitos rios.

Comprar um livro é sempre como a primeira vez,

como quem marca um encontro para receber uma confidência.

Uma casa sem livros está desabitada, é uma pensão...

Os livros são janelas.

Hoje vou abrir uma delas"

(Padre) Vasco Pinto de Magalhães, in "Não Há Soluções, Há Caminhos"

594433.jpg

 

Voltarei

06.06.15 | Maria Flor

Voarei nas asas do meu desejo,

Retornarei aonde fui feliz

Absorverei, prazeres sentidos

Momentos vividos,

Paixões tornadas ilusões;

Degustarei paladares esquecidos,

Amores perdidos;

Voltarei a sentir a ternura

Das noites de luar;

Dos pensamentos que voavam

E se perdiam nas consciências

Dos inconscientes,

Da minha juventude inocente,

Mas cheia de esperança;

Quero voltar

A ser acariciado pelas ondas

De um mar

Que um dia foi meu;

Aquecer-me-ei com o sol

Da minha felicidade;

Quero olhar, quem me olhava

Com paixão e amor;

Que os cheiros

Voltem a ser aspirados

Com a mesma avidez de antes;

Apanharei as folhas secas

Dos meus sonhos

E gritarei ao mundo

Que afinal estou vivo

E feliz.

(José Carlos Moutinho)

 

 

 

Para quê correr certos riscos

04.06.15 | Maria Flor

Cigarro numa mão, telemóvel na outra e o volante no meio... como se pode estar concentrado na condução com as duas mãos ocupadas com outras coisas e possivelmente o pensamento também.... há riscos que não vale a pena correr, eles pôem em risco todo o resto.... e o resto é tudo, é a própria vida do individuo que conduz e também das outras pessoas que podem estar no local errado à hora errada... Pensemos nisto e vamos tomar atitudes e comportamentos de cidadãos que respeitam o outro!

sms-ao-volante.jpg

(imagem tirada da net)

Ser criança

01.06.15 | Maria Flor

Ser criança é ver um mundo onde tudo é possível, acreditar que tudo é maravilhoso, ver alegria em todas as coisas, sentir que é amada por todos... ser criança é brincar, correr, sorrir e descobrir em cada coisa uma maravilha! ser criança é tudo e muito mais, ser criança é esperança no futuro!

ser criança.jpg