Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

18
Mai17

Grutas de Santo António

Maria Flor

Há poucos dias, juntamente com umas amigas resolvemos dar um passeio pela zona de Fátima, decidimos ir visitar as Grutas de Santo António. Todas já as tinhamos visitado há muitos, mesmo muitos anos pelo que ficamos contentíssimas por revê-las. Deixo-vos aqui um pouco da sua história que obtive através duma breve pesquisa e também algumas imagens que obtive através do meu equipamento fotográfico.

"Próximas, quer em termos geográficos, quer em termos naturais das Grutas de Alvados, as Grutas de Santo António foram mais uma descoberta da beleza natural e tão característica do PNSAC.

As Grutas de Santo António foram descobertas, ocasionalmente, em 2 de junho de 1955 por dois homens que trabalhavam perto da Pedra do Altar.

DSC07801.JPG

A água, no decorrer do seu ciclo, absorve grandes quantidades de dióxido de carbono quando atravessa a atmosfera e se condensa para, posteriormente, se precipitar novamente sobre a terra em forma de chuva.

Nas zonas calcárias, quando chove, estas águas espalham-se no solo em todas as direções, ao sabor dos declives, e escoam pelas fendas, aumentando-as, quer pela erosão mecânica natural, quer pela reação química causada pela presença de dióxido de carbono.

No seu processo de infiltração, estas águas ao atingirem as amplas cavidades anteriormente formadas (grutas), geram pequenas gotas que caem dos tetos, criando nesse processo todo o tipo de formações.

Uma parte destas águas vai, naturalmente, sofrendo o fenómeno da vaporação, diminuindo assim, substancialmente a quantidade de dióxido de carbono que nela existia inicialmente. Esta operação origina a formação de carbonato de cálcio que, sendo insolúvel, fica suspenso dos tetos sob formas sólidas coniformes, pelas quais vão "crescendo" lentamente – estalactites.

DSC07795.JPG

 

No entanto, se as gotas, devido a uma permeabilização mais intensa, se desprendem mais rapidamente e de uma forma regular dos tetos, o fenómeno químico concretiza-se, fazendo com que as formações cresçam a partir do chão sendo conhecidas por estalagmites.

Quando se dá a união das formações, criam-se colunas únicas e de beleza rara."

Texto retirado daqui daqui 

1 comentário

Comentar post