Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

30
Set15

As estações da nossa vida

Maria Flor

O fim do verão era já anunciado com  a temperatura a descer, e o tamanho dos dias a decrescer. Aí estão os sinais de que o outono se instala e com ele o amarelecimento, depois a cor vermelho acastanhado das folhas e a sua consequente queda. Tudo vai ficar com folhas meio secas no chão, elas vão rolar com o sopro do vento, são transportadas para outros sítios, as árvores vão ficar despidas, despojadas de toda a magestosa folhagem que as embelezou nas anteriores estações, apenas vai restar um esqueleto escuro, sem graça e sem utilidade até à proxima primavera. A natureza humana é quase assim, apenas as suas estações duram um pouco mais, mas, à medida que a idade avança, a sensação que fica é de que se viveu somente uma vez as quatro estações.

As estações da nossa vida:

Primavera, nascemos, crescemos bonitos e saudáveis, a transbordar de energia, tornamo-nos em homens e mulheres fortes com idéias e projetos de poder mudar o mundo.

O verão da nossa vida, queremos ter o nosso espaço, fundar a nossa familia, obter êxito profissional, adquirir estabilidade familiar e económica.

No outono, queremos beneficiar do produto de toda uma vida de trabalho, queremos fazer aquelas viajens que não tivemos oportunidade de fazer, queremos ler aqueles livros que se foi sempre adiando, queremos nos dedicar a artes para as quais temos aptidão e nunca tivemos tempo para explorar, queremos nos dedicar mais à familia, mesmo que a nossa familia já tenha a familia deles. Mas o outono da nossa vida muitas vezes reserva-nos supresas desagradáveis e não nos deixa tempo, forças e disposição para estas coisas.

O inverno da nossa vida não teria que ser triste, mas infelismente, para a maioria das pessoas é uma estação muito, mesmo muito triste, cheia de sofrimento fisico, espiritual e emocional.

Na próxima estação a vida se renova e tudo começa de novo! 

30
Set15

Os travesseiros de Sintra

Maria Flor

Sintra, uma vila encantadora, cheia de cantos e recantos, escadas e mais escadas, verde a perder de vista, palácios e castelos, tudo a fazer lembrar o tempo de reis e rainhas. Sintra é romantica e linda de morrer, cara também. Os travesseiros de Sintra são uma delicia e com eles começou um dia maravilhoso na vila mais romantica de Portugal! Sintra é cheia de mistério, magia, encanto e segredos...

castelo_sintra.jpg

 

28
Set15

A rainha do quintal

Maria Flor

Mãe, eu queria plantar uma árvore, diz a menina de cinco anos à sua mãe enquanto as duas observam aquela árvore que está  no quintal cheia de flores de cor amarela. Perante isto a mãe diz-lhe: estás a ver esta árvore, está cheia de rebentos junto ao pé, vamos separar com cuidado um rebento com raíz e plantá-lo noutro local. Com a ajuda de uma ferramenta de jardinagem separaram o rebento. Agora vais escolher um local que gostes aqui no quintal para plantar a tua árvore, diz a mãe. Assim, a menina escolheu um local e plantou a "acácia", a sua árvore.

Como tu precisas de comer e beber todos os dias para cresceres, a tua árvore também precisa, assim, até que ela se agarre na terra, tens que a regar de dois em dois dias, depois podem ser mais espaçadas as regas.

A menina cresceu, a acácia também, a menina tornou-se uma linda mulher e a acácia uma bela e frondosa árvore. A menina cuidou sempre a sua árvore com um especial carinho, viu-a crescer, acompanhou o seu crescimento, contou-lhe histórias de outras árvores, contou-lhe segredos seus, sentou-se na sua sombra, dormiu algumas sestas numa rede suportada nos seus ramos. A "minha árvore" como ela lhe chama é a rainha do quintal da casa dos seus pais!

2316 P Acacia de flor amarilla. Flor 19062009.jpg

 

27
Set15

O poder de um olhar

Maria Flor

Caminhavam em sentidos opostos, embrenhados em seus pensamentos, em questões por resolver, em tarefas para executar .... levantaram os olhares e, por magia, ou não, os seus olhares se cruzaram. Pararam de caminhar, de pensar, de ver o que se passava ao seu redor, os olhos eram incapazes de se desviar, hipnotizados que estavam. Nada disseram, os olhos disseram as palavras que os lábios calaram. Não eram necessárias palavras....

Pessoas de alma transparente, ou não, eram pessoas comuns como tantos outras que nesse momento se sentiram o centro do mundo, que apenas elas existiam e se completavam apenas com um olhar. Um olhar do tamanho de uma vida, um olhar que vê até ao fundo da alma, de uma alma gémea...

Que nome dar a um sentimento assim? instantãneo, doce, límpido....

Um olhar que jamais se esqueceu, que jamais se repetiu, um olhar que perdura ao longo de uma vida.

Doce é o seu olhar

lindo é o seu olhar

o seu olhar é amor!

Olhar.jpg