Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Abrigo das letras

Abrigo das letras

16
Mai13

Ir a Marte sem bilhete de regresso

Maria Flor

Deus me livre, deixar este planeta azul e atirar-me a uma aventura dessas sem perspectiva de regresso. Não, ir a Marte nem com todo o dinheiro do mundo. Iria para um país onde houvesse trabalho para todos, onde o serviço de saúde e educação tivesse prioridade sobre coisas tão menos importantes, onde as pessoas fossem respeitadas como merecem, onde não houvesse crime, principalmente contra idosos e crianças, onde o clima fosse ameno todos os meses do ano (embora não nos possamos queixar do clima do nosso querido Potugal, que é explêndido e faz as delícias de tantos estrangeiros). Alguns dirão "um país assim era uma monotomia, sem acção, sem adrenalina....) outros como eu dirão "era um país abençoado por Deus).... este país é apenas uma utopia, pois os recursos naturais para a vida se sustentar, escasseiam e existem milhões de pessoas no mundo que nada têm para comer e outros gastam fortunas para ir para Marte porque no planeta azul já se esgotou o que lhe faz adrenalina no corpo e no espírito.....

08
Mai13

Acabar com os desperdícios

Maria Flor
Já vivi uma época em que não havia desperdícios de nada, tudo se aproveitava, desde os restos de comida que se davam aos animais, às águas de lavagens de legumes que regavam plantas ou à reutilização de todos os sacos de plástico ou papel que havia ... as roupas, sapatos, brinquedos e livros escolares passavam de uns irmãos para os outros ... numa palavra "não havia desperdício". Seguiu-se outra época em que começou a haver fartura de tudo e o consumo disparou como uma flecha "vivia-se à grande e parecia que o país era rico" rica ilusão que agora se desvaneceu. Chegou portanto outra vez a época em que desperdiçar está simplesmente fora de moda e, poupar, reaproveitar e reutilizar são palavras de ordem.
Três coisas em que estou empenhada em não desperdiçar:

                                                                                                                           Água

 

 
 
 
 
 
 
                                                                               

 

 

 

Dinheiro

 

 

Comida